Pular para o conteúdo principal

Orquídeas, uma paixão... saiba como cuidar delas!



Você tem paciência para esperar um ano que uma planta floresça?

Cultivar orquídeas é mais fácil do que se pensa 

Na grande maioria, as orquídeas brasileiras são epífitas,
isto é, crescem presas às árvores, sem, contudo,
roubar delas quaisquer nutrientes.
As raízes são usadas apenas para fixar
a planta no caule das árvores. 

Ao escolher o que vai cultivar, dê preferência
a espécies adaptadas a sua região.

Como as orquídeas florescem apenas uma ou duas vezes por ano,
 é interessante possuir várias espécies diferentes
(cujo ciclo de floração costuma ser também diferente).

Isso aumenta as chances de ter sempre alguma planta florida. 



Não colete ou adquira plantas oriundas das matas,
pois as orquídeas já foram bastante dilapidadas
pelos mateiros e colecionadores gananciosos. 
Procure adquiri-las de empresas produtoras de mudas
 ou de orquidófilos que tenham plantas disponíveis. 

Irrigação: 

Mantenha o vaso úmido, jamais encharcado.

É mais fácil matar uma orquídea 
por excesso do que por falta d’água. 

Não colocar pratinho com água debaixo do vaso,
pois as raízes poderão apodrecer.

Molhe abundantemente duas ou três vezes por semana,
deixando a água escorrer totalmente. 
Nos outros dias, basta vaporizar as folhas de manhã cedo
ou no final da tarde, 
quando a planta não estiver sob o sol. 





Luminosidade: 


Instale suas plantas em locais onde elas possam 
ser banhadas pelo sol no horário da manhã (até as 9 horas) 
ou no final da tarde (depois das 16 horas).
Se a planta não tomar sol, ela não vai florescer. 
As orquídeas podem ser fixadas também
no tronco de árvores, 
desde que estas não tenham uma
sombra muito densa, como as mangueiras.

O problema é que, quando florescerem,
elas não poderão ser levadas para dentro de casa.

Aliás, é recomendável manter os vasos, 
o máximo possível, na mesma posição e local.
Elas sofrem muito para se virar para a luz...diminuindo assim
sua vitalidade e beleza.

Ventilação:

As orquídeas necessitam de locais arejados. 
Evitar, porém, a ventilação muito forte. 



Adubação: 

Utilize um desses adubos foliares (líquidos) 
que se encontram na seção de jardinagem de todos os supermercados. 
Adicionar algumas gotas à água com que será feita a vaporização, 
no caso de usar pequenos pulverizadores. 
Procure molhar sobretudo a parte inferior das folhas de sua orquídea, 
pois é aí que se encontram os estômatos, que absorvem água e nutrientes. 

Pragas e doenças: 

Se as plantas forem cultivadas de uma forma adequada, 
elas estarão mais resistentes a pragas e doenças. 
Se não houver excesso de umidade, por exemplo, 
dificilmente os fungos irão atacar. 
De qualquer modo, previna-se. 

Um dos grandes inimigos de nossas orquídeas são as cochonilhas. 
Esses pequenos organismos sugam a seiva da planta 
e podem matá-la se não forem combatidos. 
Quem possui poucas plantas pode catá-los,
um a um, antes que se propaguem. 
No caso de uma coleção maior, 
haverá necessidade de apelar para os defensivos. 

Dê preferência às fórmulas naturais, 
pois os produtos químicos industrializados 
costumam ser tão prejudiciais
às plantas quanto a quem as cultiva. 

É recomendável consultar uma pessoa 
que tenha experiência com produtos naturais.

PRONTO AÍ ESTÃO ALGUMAS DICAS
PARA CULTIVAR SUA ORQUÍDEA
DENTRO OU FORA DE CASA.

Estas das fotos, são minhas... e já estão prontas para florescer.



Postagens mais visitadas deste blog

MAIS UM DIA... Que seja de muita cor, muita PAZ... MUITAS BENÇÃOS!

O girassol irradia luz, é movido pela luz,  não perde tempo com as sombras,  com o artificial, com o genérico. 

Nós devemos aprender essa grande lição  com esta majestosa flor,  não devemos e nem podemos perder tempo com as sombras,  estejamos sempre voltados para o nosso Sol,  o mais lindo Sol: Deus!

Deus é o nosso sol e podemos ser alguém se n'Ele  os nossos olhos, o nosso coração, a nossa vida  não tiverem voltados.

Sem Deus, somos pessoas vazias, sem luz.
DEUS É PAZ... É LUZ, COR, TUDO EM NOSSAS VIDAS!

A lenda do Ipê...

Ela diz o seguinte:
Naqueles tempos, o inverno estava nos seus últimos dias e todas as árvores da floresta estavam começando a florescer.
Somente os ipês continuavam sem flores.  Os ipês, cada vez mais se entristeciam com aquela situação.  Eles eram os únicos que não tinham nem flores nem frutos. 
Então, os amarelos canários da terra, percebendo a tristeza dos ipês, resolveram fazer seus ninhos somente nos galhos de um dos ipês. 
E ninhais também foram feitos pelas araras vermelhas e azuis e os sanhaços em outro; as garças brancas em outro,  as siaciras em outro, e num outro ipê menos imponente, foram os periquitos, jandaias, maritacas e papagaios. 
Os ipês ficaram muito felizes e resolveram pedir à Providência Divina que lhes dessem flores, como forma de agradecimento  aos canários da terra, e a todos os outros pássaros da floresta, pela alegria que tinham levado a eles.
No dia seguinte, dizem; sob o mais belo céu azul que aqueles sertões já conheceram, os ipês floresceram, em vária…