Pular para o conteúdo principal

Lindas, elas enfeitam e nos ajudam a ser feliz...






Pequena, mas vistosa



Uma flor que transmite sensação de paz, frescor e vivacidade, tem a cor da 
renovação e da mudança, em que as desilusões se tornam realizações. Representa expansão e inspiração da expressão da consciência superior. Indica prosperidade e fortuna, e é excelente para dar uma reviravolta no trabalho e 
para projeção profissional
Planta faz reverência à limpeza e ao esmero



Nome Científico: Evolvulus glomeratus
Sinonímia: Evolvulus strictus, Evolvulus grandiflorus, Evolvulus capitatus, Evolvulus echioides
Blue Daze, Brazilian dwarf morning-glory, Hawaiian Blue Eyes 
Botanical name: Evolvulus glomeratus 'Blue Daze' 
Nome Popular: Evólvulo, Azulzinha
Família: Convolvulaceae
Divisão: Angiospermae
Origem: Brasil e Paraguai
Ciclo de Vida: Perene




Curiosidade



É uma excelente cobertura vegetal para áreas extensas onde não tem grama. Azulzinha floresce quase o ano todo, mas não tolera temperaturas baixas

Não resiste o pisoteio nem falta de água, então a escolha do local de cultivo deverá ser feita com cuidado.

Também pode ser usada como pendente, como maioria das plantas rasteiras. Em jardineiras e grandes vasos acompanhando palmeiras e dracenas altas.

Essência floral - desperta nosso guardião interno para que ele se torne vigilante e atento. Mobiliza as qualidades de mente desperta, atenção focada e Vigilância atenta, qualidades necessárias para a proteção de nosso espaço psíquico, energético e concreto. 

 Hoje, encontramos com freqüência a azulzinha nas bordas dos canteiros que circundam prédios e casas dos grandes centros urbanos. Muitas vezes circundando as guaritas onde ficam os porteiros/guardiões do local.




VI GOSTEI, FOTOGRAFEI...


Azulzinhas... da cor do céu...
lindas...
fotografei, bem na hora da rega.
Elas pareciam sorrir, de tanta felicidade.





Postagens mais visitadas deste blog

Orquídeas, uma paixão... saiba como cuidar delas!

Você tem paciência para esperar um ano que uma planta floresça?
Cultivar orquídeas é mais fácil do que se pensa 
Na grande maioria, as orquídeas brasileiras são epífitas,
isto é, crescem presas às árvores, sem, contudo,
roubar delas quaisquer nutrientes.
As raízes são usadas apenas para fixar
a planta no caule das árvores. 
Ao escolher o que vai cultivar, dê preferência
a espécies adaptadas a sua região.

Como as orquídeas florescem apenas uma ou duas vezes por ano,
 é interessante possuir várias espécies diferentes
(cujo ciclo de floração costuma ser também diferente).

Isso aumenta as chances de ter sempre alguma planta florida. 


Não colete ou adquira plantas oriundas das matas,
pois as orquídeas já foram bastante dilapidadas
pelos mateiros e colecionadores gananciosos.  Procure adquiri-las de empresas produtoras de mudas  ou de orquidófilos que tenham plantas disponíveis. 
Irrigação: 

Mantenha o vaso úmido, jamais encharcado.

É mais fácil matar uma orquídea 
por excesso do que por falta…

MAIS UM DIA... Que seja de muita cor, muita PAZ... MUITAS BENÇÃOS!

O girassol irradia luz, é movido pela luz,  não perde tempo com as sombras,  com o artificial, com o genérico. 

Nós devemos aprender essa grande lição  com esta majestosa flor,  não devemos e nem podemos perder tempo com as sombras,  estejamos sempre voltados para o nosso Sol,  o mais lindo Sol: Deus!

Deus é o nosso sol e podemos ser alguém se n'Ele  os nossos olhos, o nosso coração, a nossa vida  não tiverem voltados.

Sem Deus, somos pessoas vazias, sem luz.
DEUS É PAZ... É LUZ, COR, TUDO EM NOSSAS VIDAS!

A lenda do Ipê...

Ela diz o seguinte:
Naqueles tempos, o inverno estava nos seus últimos dias e todas as árvores da floresta estavam começando a florescer.
Somente os ipês continuavam sem flores.  Os ipês, cada vez mais se entristeciam com aquela situação.  Eles eram os únicos que não tinham nem flores nem frutos. 
Então, os amarelos canários da terra, percebendo a tristeza dos ipês, resolveram fazer seus ninhos somente nos galhos de um dos ipês. 
E ninhais também foram feitos pelas araras vermelhas e azuis e os sanhaços em outro; as garças brancas em outro,  as siaciras em outro, e num outro ipê menos imponente, foram os periquitos, jandaias, maritacas e papagaios. 
Os ipês ficaram muito felizes e resolveram pedir à Providência Divina que lhes dessem flores, como forma de agradecimento  aos canários da terra, e a todos os outros pássaros da floresta, pela alegria que tinham levado a eles.
No dia seguinte, dizem; sob o mais belo céu azul que aqueles sertões já conheceram, os ipês floresceram, em vária…